QUANTAS MALALAS EXISTEM NO AFEGANISTÃO?

QUANTAS MALALAS EXISTEM NO AFEGANISTÃO?
Ásia Internacional Legislação por país Ramos do direitoLeave a Comment on QUANTAS MALALAS EXISTEM NO AFEGANISTÃO?

QUANTAS MALALAS EXISTEM NO AFEGANISTÃO?

QUANTAS MALALAS EXISTEM NO AFEGANISTÃO? Apesar de Malala Yousafzai ter nascido do vale do Swat, no Paquistão, há muitas semelhanças com as meninas afegãs. Aliás, os países vizinhos também sofrem com os conflitos e guerras durante toda sua história.
Na linha do tempo, o Afeganistão fez parte do Império Persa, Macedônio, Hindu, Mongol, Turco Otomano e ainda, do Russo e Inglês.
Sem sombra de dúvida, tantas invasões deixaram grandes marcas naquele país. No entanto, a recente saída dos Estados Unidos, após vinte anos e o Talibã no poder supera os fatos anteriores.

Afeganistão além das batalhas

Apesar disso, o Afeganistão tem muitos atrativos. Além da rota comercial importante, possui uma beleza natural diferenciada. O país se encaixa entre vales e montanhas.
Claro que, há muita destruição no cenário. Não obstante, é um local cheio de histórias de reis, rainhas e princesas.
Desse modo, geograficamente, faz fronteiras com o Paquistão, Irã, Turcomenistão, Uzbequistão, Tajquistão e China.
Mas afinal, o que acontece no Afeganistão?

Linha do Tempo

Para entender a situação atual é preciso voltar um pouco e relembrar fatos históricos.
Assim, durante a Antiguidade houve o domínio de grande impérios em toda a região da Ásia. Posteriormente, durante o século VII houve a invasão árabe e o islã chegou como nova religião.
Portanto, é notório que a região é conturbada e repleta de fatos bélicos.
Em relação, a forma de governo no Afeganistão, a monarquia, predominou. Logo, durante o século XIX, inciaram as guerras com o Reino Unido.

Quantas Malalas existem no Afeganistão – fatos históricos

O domínio inglês permaneceu até 1919. Então, foi declarada a independência do Afeganistão. Em seguida, na década de 50 a União Soviética se aproxima do país.
Nesse ínterim, o povo afegão teve uma curta monarquia constitucionalista. Somente em 1973, por meio de um golpe de Estado eles alteraram a forma de governo e se tornaram uma República.
Simultaneamente, diante da disputa da Guerra Fria, os Estados Unidos financiam o grupo mujahideens para lutar contra a ex-União Soviética. De maneira idêntica, ao ocorrido em outros países, os Estados Unidos financiaram grupos armados para se fortalecer.
No caso do Afeganistão, eram os mujahideen.
Como resultado, inúmeras consequências danosas, inclusive com o fortalecimento do terrorismo.

Início do Talibã

Igualmente aos norte-americanos, Paquistão, China, Irã também financiaram grupos armados. Após o enfraquecimento dos russos, em 1988 houve um Tratado de Paz e a saída da da ex-URSS.
Contudo, a guerra civil continuou por lá. O Talibã, surgiu num grupo derivado dos mujahideen. De acordo com sua descrição, era um grupo de estudantes, religiosos.
Além disso, com regras extremistas e graves violações a Drieitos Humanos, claro em busca do poder.
Enquanto isso, Osama Bin Laden, chefe da Al-Qaeda, outro grupo extremista formava acordo com o Talibã. Os conflitos armados e o terrorismo eram realidade.

Terrorismo – o que é?

Para as Nações Unidas, terrorismo pode ser definido como:

“atos criminosos destinados ou calculados para provocar um estado de terror no público em geral, um grupo de pessoas ou determinadas pessoas para fins políticos são em qualquer circunstância injustificáveis, quaisquer que sejam as considerações de caráter político, filosófico, ideológico, racial, étnico, religioso ou qualquer outra natureza que pode ser invocada para justificá-los.”

Definitivamente, o atentado de 11 de setembro de 2001 assombrou o mundo. A autoria do ato mais cruel já visto era de Osama Bin Laden. Diante das circunstâncias, os Estados Unidos, sob o governo de George W. Bush, iniciaram a ocupação no Afeganistão. Dessa maneira, a busca por Bin Laden foi objetivo central. Em conjunto, ocorreu a ocupação do Afeganistão com a OTAN, Organização para o Tratado do Atlântico Norte.

A era e o domínio Americano no Afeganistão

Enfim, os vinte anos de ocupação americana no território afegão não foram suficientes para que a democracia e a reconstrução acontecesse. Aliás, não sabemos se esses algum dia foram realmente objetivos reais para aquele país.
Na verdade, o problema é muito mais complexo. Há muito interesse em jogo.
Finalmente, em agosto de 2021, numa saída desastrosa, os Estados Unidos saíram do Afeganistão.

Saída Desastrosa

Fico diante de inúmeros questionamentos quanto aos fatos atuais. Como sobreviveram aqueles que colaboraram com a ocupação dos Estados Unidos e lá permaneceram? Para onde irão milhares de refugiados que tentam deixar o país? Como o Talibã vai tratar questões como educação, desigualdade de gênero, Direitos Humanos? A guerra civil será ainda pior? Quantos soldados infantis contiuarão a ser recrutados? Quantas Malalas terão seus direitos privados inclusive quanto ao exercício de direitos civis básicos? Quem dará apoio para o regime do Talibã?

Quantas Malalas existem no Afeganistão – breves conclusões

O Talibã do início dos anos 2000 já não é mais o mesmo. Da mesma forma, o mundo todo mudou. Mas quais serão as mudanças e políticas que serão implementadas por esse novo governo.
Na contramão do mundo todo, os poucos regimes extremistas vigentes provavelmente se unirão. O que isso significa ainda é uma incógnita.
Aos poucos veremos o desenrolar da história que preocupa as relações internacionais. Enquanto isso milhares de Malalas terão suas vidas interrompidas pelos atos de terror.

Assinatura Raquel

Leia também:
ISRAEL E PALESTINA: DICOTOMIAS PELO MUNDO;
NORIEGA: DITADURA E O PONTO FINAL AMERICANO;
RAMADÂ: A POLÊMICA DA INTERNET E AS PRÁTICAS RELIGIIOSA;

Olá! Para quem ainda não me conhece, eu sou a Raquel. Sou formada em direito e, desde pequena, vivo me mudando. Primeiro, pelo trabalho do meu pai. Nasci numa cidade diferente de toda a minha família. Depois me mudei para São Paulo, onde estudei, me formei em Direito, advoguei, terminei meu mestrado e também me casei. Juntos eu eu o meu marido embarcamos numa grande aventura. Tivemos nossos três filhos e nos mudamos de cidade e país algumas vezes. Lecionando descobri que o Direito fica muito mais interessante quando é compartilhado com pessoas interessadas. Assim, criei esse novo projeto para seguir estudando, pesquisando, compartilhando ideias e leis com vocês!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Translate »